Por que estamos tão obcecadas com a limpeza da pele do rosto?
Eleitos

Por que estamos tão obcecadas com a limpeza da pele do rosto?

por Vânia Goy

Sim, a gente lava o rosto duas vezes por dia. Mas essa etapa nunca (nos meus 10 anos de jornalista que escreve sobre beleza todos os dias) foi tão valorizada. Por que será que ficamos obcecadas com esse ritual?

Uma pista são os rituais de beleza das asiáticas, que pregam a necessidade da limpeza dupla, chamada de “double cleasing”, diariamente. Da minha parte, devo dizer, não acho frescura. Mas acredito que ela vai além da moda e se tornou necessária porque despertamos para dois fatos relevantes: vivemos em cidades muito poluídas e usamos cada vez mais fórmulas complexas de maquiagem e filtro solar.

Em algum momento da história, os sabonetes usados no banho não eram tão diferentes do detergente que a gente usa na cozinha. O avanço da indústria cosmética, no entanto, deixou as fórmulas mais amigáveis, sem sabão, responsável por arrancar toda e qualquer camada (boa!) de gordura, bagunçar nosso pH do rosto, deixando aquela sensação de secura, repuxamento e até irritação. Mesmo as versões modernas disponíveis no mercado ainda contém ingredientes eficientes para dissolver o óleo, mas que acabam levando embora parte dos lipídios que produzimos naturalmente junto com sebo e sujeira.

A nova geração de sabonetes e demaquilantes promete limpeza e, acima de tudo, gentileza máxima com a pele. Por isso o assunto anda em alta. Apesar de soar como novidade, o tal “double cleasing” coreano nada mais é do que tirar a maquiagem e depois lavar o rosto — coisa que as iniciadas em beauté fazem desde sempre. O que muda tudo é a tecnologia e as texturas contemporâneas, muito mais interessantes e amigáveis, capazes de limpar o rosto, preservando o que é necessário e, acima de tudo, garantindo momentos de prazer com cheiros e espumas deliciosas.

Charlotte Cho, fundadora do e-commerce Soko Glam e autora do livro “The Little Book of Skin Care: Korean Beauty Secrets for Healthy, Glowing Skin” diz em suas páginas que a limpar a pele tantas vezes não é exagero, já que as cidade coreanas figuram na lista das mais poluídas do mundo. Aqui em São Paulo, a dermatologista Alessandra Fraga me disse que a etapa dupla é fundamental para dar conta de remover os novos FPS à prova d’água e bases de longa duração.

O ritual contemporâneo requer dois produtos: um óleo para retirar a maquiagem e um sabonete delicado para finalizar a limpeza. Diferente dos tradicionais óleos bifásicos, as versões contemporâneas têm enxágue, deixando o rosto macio e zero melecado. Na minha lista de favoritos moram o Óleo de Limpeza (R$ 65), da japonesa Bioré, e Oil to Milk (R$ 195), da Dior, que já deixo no chuveiro.

Joëlle Ciocco, esteticista francesa, é do time que há anos defende a limpeza dupla. Um dos seus produtos-ícone é a Lotion Lactée (R$ 340), que sequer faz espuma: parecida com um creme, deve ser usada duas vezes seguidas à noite, para remover a camada de poluição, maquiagem e sebo. Em entrevista à Marie Claire, me disse algo muito interessante: “lavamos as roupas e também a pele que fica sob elas. Temos esse cuidado com regiões do corpo que não ficam em contato direto com o ambiente, então por que não dobrar a atenção com aquelas que ficam expostas o tempo todo?”, diz. O Milk Jelly (US$ 18), gel de limpeza hit da americana Glossier, é parecido. Uso duas vezes no chuveiro mesmo, para retirar a maquiagem, antes de passar para a etapa do sabonete. A marca, no entanto, garante que só ele é capaz de deixar a pele limpíssima.

Aqui, nada de algodão: massageio uma das loções ou óleos citados acima no rosto todo durante alguns minutos, abro o chuveiro e enxáguo tudo. Em seguida passo para o sabonete. Saem as versões em gel e entram as ultra cremosas, cheirosas, capazes de criar uma espuma abundante que te faz mergulhar em um universo fofinho e macio de puro prazer. Na lista de delícias: Sabonete Facial (R$ 51), da Bioré, Espuma em Creme (R$ 195), L’Occitane en Provence, e a mais recente, White Cleansing Foam, da Hera, marca coreana.

Se estou com muita maquiagem, faço esse ritual com a ajuda do Foreo Luna, escovinha sônica que é companhia permanente que aposentei o meu Clarisonic, anos atrás. Pós-banho ainda sou uma complementada na limpeza com um tônico de uso diário. Tenho usado os pads de algodão já embebidos na fórmula da coreana Corsx, mas isso é aassunto para outro post 😉

Posts Relacionados