Agora toda marca de maquiagem terá uma linha de skincare?
Futuro

Agora toda marca de maquiagem terá uma linha de skincare?

por Manuela Aquino


O Business of Fashion destaca o plano de marcas de maquiagem focarem no lançamento de linhas de skincare. Entre os exemplos: a Hourglass, que um dia pretende ter metade do business relacionado a cosméticos para a pele, Cover FX, que lançou sua categoria neste mês, Huda Beauty e, em breve, a KKW Beauty, a marca de Kim Kardashian que agora conta com investimento milionário da Coty.

A pandemia acelerou o desejo de quem planejava entrar no negócio. As marcas de skincare existentes estão lançando mais produtos do que nunca aproveitando o surgimento de novas necessidades como a acne causada pelas máscaras de proteção e, com bem disse o BOF, “a fixação por bem-estar durante o lockdown”. As marcas de maquiagem, que já estavam acompanhando uma queda nas vendas de algumas categorias, também querem desfrutar do momento.

O s estreantes no setor devem seguir os passos bem-sucedidos de clássicos como Bobbi Brown e Nars, que vendem ótimos produtos de skincare. Atualmente, desenvolver uma linha de cuidados com a pele ficou mais rápido e competitivo. E, se antes dos produtos de skincare pareciam luxuosos e caros, essa nova geração de formulações deixa o consumidor à vontade para variar e experimentar, seguindo não só as necessidades da pele, mas o apelo dos ingredientes da moda.

Quem fez esse movimento aqui no Brasil foi Quem Disse Berenice?, que colocou a Skin.q no mercado no segundo semestre de 2020. Os preços da linha de skincare, desenvolvida com ativos-hit como ácido hialurônico, esqualano e vitamina C, começam em R$ 39. Um dos mais caros, o sérum antioxidante que custa R$ 119 é, segundo a marca, um dos produtos de mais sucesso entre as consumidoras.

A expectativa era de 15% de aumento nas vendas até o final do ano passado, provenientes do lançamento da linha e também do projeto Marcas do Coração. E, para os próximos 12 meses, a ideia é que a categoria de cuidados faciais triplique em faturamento com a entrada de Skin.q, que tem lançamentos planejados para 2021. “Quando pensamos no Beauty Care como um pilar, unificando beleza e tratamento, naturalmente abrimos mais possibilidades. A marca, que está próxima de completar sua primeira década, madura o suficiente junto ao seu público para oferecer essa
expansão — acreditamos em passos firmes, pautados nos pedidos que avaliamos vindos dos consumidores.”

Mercado global de cosméticos probióticos vai dar um salto até 2027
De acordo com um novo relatório da Grand View Research, o tamanho deste mercado deve chegar a 418,1 milhões de dólares em seis anos. A rotina de cuidados com a pele, mais valorizada de uns tempos pra cá, está entre os principais fatores que impulsionam. Junto a isso vem o aumento da conscientização sobre cosméticos baseados em microbioma para curar problemas relacionados à pele, como acne, cicatrizes, câncer de pele e bactérias nocivas. De acordo com relatórios do Google de 2019, aproximadamente 1,9 bilhão de pessoas sofreram de problemas relacionados à pele devido à falta de cuidados adequados com a pele e orientação do dermatologista. E a demanda por produtos cosméticos probióticos está aumentando entre os millennials para evitar os sinais de envelhecimento. As empresas vêm lançando novos produtos para ganhar maior participação no mercado. 

Google lança teste virtual de make
Desde o começo da pandemia, no começo de 2020, marcas de beleza de todo o mundo mudaram estruturas internas e o jeito de vender para superar a crise. Entre as novidades foi o lançamento de diversas ferramentas que substituíssem os testes. Agora, o Google entra nessa e está experimentando testes de maquiagem virtual, em parceria com a ModiFace e Perfect Corp, oferecendo aos usuários a chance de testar diferentes tons e texturas de batons e sombras. As marcas parceiras da empreitada são  L’Oréal, M.A.C e Charlotte Tilbury. Ao navegar no Google Shopping, será possível ter encontrar dicas de especialistas para uma compra certeira. 

Mercado de produtos de self care naturais continua a crescer
As vendas globais de produtos naturais e orgânicos para cuidados pessoais estão projetadas em cerca de 12 bilhões de dólares. O dado é da segunda edição do Relatório  The Global Market for Natural & Organic Personal Care Products, da Ecovia Intelligence. Segundo o levantamento, a China representa hoje o maior mercado da Ásia para este segmento, apesar de ser boicotado por muitas marcas, devido aos testes em animais para importação de produtos cosméticos no país. O mercado europeu conseguiu manejar a crise. Embora muitas lojas e salões tenham sido temporariamente fechados durante a pandemia, houve um aumento de varejistas especializados, drogarias e farmácias e investimento nas vendas online. O maior mercado continua sendo a Alemanha, onde produtos naturais e orgânicos agora têm 10% do mercado.

Colgate desenvolve tubo de pasta de dente reciclável
A P&G se uniu à Albéa para criar um tubo de creme dental fabricado em HDPE, polietileno de alta densidade. O polímero é muito utilizado para fazer frascos para indústria alimentícia e garrafas de leite. Agora, sendo usado para fabricação dos frascos de pasta, o produto final será o primeiro desta categoria a entrar na turma das embalagens recicláveis. Por ser feito por muitas camadas de plástico sobre alumínio, os tubos não são passíveis de serem reciclados da maneira convencional. No Reino Unido, a pasta Smile for Good, da Colgate, já foi lançada com a embalagem e, nos Estados Unidos, em breve será a vez do creme dental Tom’s of Maine.

Posts Relacionados