Clareza, eficiência, formulações veganas e éticas: pesquisa mostra o que procuram os consumidores de produtos pro cabelo
Futuro

Clareza, eficiência, formulações veganas e éticas: pesquisa mostra o que procuram os consumidores de produtos pro cabelo

por Manuela Aquino

O summit sobre beleza sustentável da empresa Hairstory, startup americana de produtos para cabelo profissionais, rendeu reflexões sobre o tema. Para a Beauty Independent, Eli Halliwell, CEO da empresa, afirma que a “sustentabilidade é uma jornada, não um destino”. Neste caminho, as marcas, inclusive as brasileiras, estão se adequando aos consumidores, que procuram não só pelos benefícios de um produto com ingredientes naturais, mas também por saber o que tem sido feito pela conservação da natureza. Dados coletados por uma pesquisa da Spate, plataforma de inteligência sobre o comportamento dos consumidores, mostram esse movimento já observado por quem acompanha o mercado da beleza: as pesquisas por “sustentabilidade” no Google aumentaram 18,5% ano a ano, de 2018 até hoje. Segundo um dos fundadores da agência de pesquisa, Oliver Zimmer, entre os termos que fazem parte do mundo da sustentabilidade, “reutilizável” e “recarregável” são os que mais crescem. Neste momento, “pensar em como se posicionar com itens com refil ou reutilizáveis também pode ser uma forma de fazer a diferença e, ao mesmo tempo, capturar o que está na mente do consumidor no momento”, aposta Oliver.
Veja a seguir 3 das tendências mais relevantes quando se fala de consumo de beleza sustentável:

Clareza sobre composição nas embalagens importa cada vez mais
O consumidor quer saber mais e mais sobre a composição dos produtos. Impacto na saúde e na natureza importam, assim como quais ingredientes o produto não tem. Para uma marca que queira se firmar como sustentável e que se preocupa com a saúde do cabelo, “sem parabenos” e “sem fragrâncias” são expressões que importam. Já em skincare, “sem crueldade animal” e “sem fragrância” são apontadas como essenciais.

Não basta ser clean
As marcas de clean beauty encontraram público entre os consumidores cuja profundidade e clareza sobre práticas e ingredientes determina a compra. As marcas, no entanto, não podem abrir mão de ingredientes realmente eficientes e inovadores. Produtos com CBD e matchá, por exemplo, já são sucesso. Para Oliver Zimmer, é necessário ter um portfólio que contemple, por exemplo, make e skincare. “Ser multitasking é o caminho do momento para crescer”.

Categoria de haircare vegano vai expandir
O CEO da Spate aponta que o crescimento do mercado de beleza vegano formará uma nova e expressiva onda de produtos de cabelo livres de ingredientes animais. A explicação é que há uma variedade muito grande de produtos para cabelo naturais e eficazes e que, para o consumidor, passar do skincare vegano para produtos de cabelo da mesma categoria faz todo sentido. Nas pesquisas, já observamos novos ingredientes queridinhos apontando por aí: água de arroz e coco foram bastante procurados nas buscas por cabelo.

+
1. Google lança aplicativo para diagnosticar questões de pele
Quem nunca procurou sintomas para ter uma ideia do poderia ser aquilo? Pois a empresa resolveu unir nossa curiosidade com o crescimento das consultas online e inteligência artificial e anunciou a criação do Derm Assit, aplicativo que demorou três anos para ficar pronto, e que vai ajudar a identificar doenças de pele pelo smartphone. Funciona assim: depois de iniciar o aplicativo, você usa a câmera do seu celular para capturar três imagens da condição da pele que você quer saber, como uma mancha ou pinta que cresceu. O aplicativo faz algumas perguntas e pesquisa seu banco de dados de 288 doenças de pele. Então cria possíveis condições de correspondência que você pode pesquisar mais a fundo e, claro, procurar um médico naquela especialidade.

2. A gente não disse que sexual wellness viria com tudo?
Duas novidades bem legais apareceram esta semana neste nicho de bem-estar sexual. A loja de departamentos Bloomingdales terá uma seção de sexual wellness em seu e-commerce. Vibradores com design clean, lubrificantes e velas com ingredientes naturais estarão disponíveis. Eles também vão vender itens de cuidado íntimo como óleo para amaciar os pelos pubianos. A outra é a criação de um site de sexualidade voltado para mulheres árabes: o Mauj, uma plataforma educacional online com a missão minar a vergonha com relação ao sexo. A ideia é fazer dali um espaço de informação, de normatização da conversa sobre o assunto e de conhecimento do corpo e das formas de prazer. As co-fundadoras, que preferem ficar anônimas, deram, à Vogue UK, um recado às mulheres: “seja gentil consigo mesma nessa descoberta, não há jornada certa ou errada. Nada sobre você é vergonhoso. Seu corpo pertence a você e somente a você”. Além do conteúdo do site, elas estão em negociação para um podcast e sonham em vender seus próprios itens de sexual care!

3. Em breve, China será segundo mercado mundial de perfumaria
Quem fez a aposta foram dois executivos da Takasago, líder em fabricação de perfumes na Ásia, ao site Premium Beauty News. O diretor de marketing, Sylvain Eyraud e a gerente de marketing, Mathilde Girardon, afirmam que “em 2030, a China provavelmente terá se tornado o segundo mercado global de perfumes”. Segundo a reportagem, isso é baseado em estudos sobre o crescimento do consumo de perfumaria no país. De acordo com levantamento da Euromonitor, a China é o país mais promissor neste ano crítico, com um crescimento de 15%. A Ásia, principalmente China ao lado de Coréia e Japão, representou 13% do mercado global de perfumes premium em 2020.

4. Seda na cúpula global da ONU Mulheres
No último dia 25, aconteceu, de maneira virtual, a Conferência Global da ONU Mulheres “Aliança Sem Estereótipos no Brasil” com a discussão de como são representados gênero e raça na publicidade brasileira. Entre as convidadas estava Ana Paula Duarte, Diretora de Mídia e Marca da Unilever, que falou sobre as iniciativas de Seda. Seda mostra os impactos de suas iniciativas realizadas em prol da inclusão racial, e comenta sobre progresso desde que firmou compromissos públicos em novembro de 2020. Como por exemplo, a jornada de conteúdo online da marca, “Planejando Meus Sonhos”, que engajou 2 milhões de meninas. A iniciativa é uma parceria com o Instituto Plano de Menina, da jornalista Vivi Duarte, e como parte da ação, 2.500 meninas negras receberam mentoria para planejamento de suas metas. Na conferência também foi apresentada a campanha “Sonhos Incríveis Demais”, que contou a história da jornalista e ativista Gabi Oliveira, que dividiu sua vida, sonhos e como encarou a transição capilar, além de ter ajudado a desenvolver a linha dos produtos CRESPOFORCE. Na ação, houve participação do coletivo de funcionários negros da Unilever, o Afrolever.

5. Testes em animais para produçao de cosméticos são proibidos no Rio de Janeiro
O STF validou, na última quinta-feira (27/05), uma lei do estado do Rio de Janeiro que proíbe o teste em animais. A proibição, segundo a decisão que teve placar de 6 x 5, é para “desenvolvimento e experimentos em produtos cosméticos, de higiene pessoal, perfumes e de limpeza”. Mas, os ministros não proibiram a venda dos testados, pois a comercialização é uma competência da União. O julgamento aconteceu por conta de uma ação da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos contra a lei 7.814/17, que proíbe a prática. Em abril de 2020, o STF manteve a proibição de testes de cosméticos em animais no Amazonas, também em uma ação vinda da indústria.

E mais
. Chiara Ferragni
, empreendedora digital italiana, lança sua segunda coleção de maquiagem em parceria com a Lancôme. Já disponível no Brasil e com preços a partir de R$ 139, a linha traz, em belas embalagens azuis, a paleta multifuncional Fashion Flirty Palette, os batons L’Absolu Rouge Drama Matte e L’Absolu Rouge Cream e máscara de cílios, queridinha da marca, Monsieur Big.

. O ídolo do beisebol americano Alex Rodriguez (ex-namorado da Jennifer Lopez) anunciou o lançamento de um novo corretivo que ajudou a desenvolver com a Him, marca de bem-estar e higiene pessoal voltada para o consumidor masculino. A decisão de investir na área vem em um momento bom- o mercado de cosméticos masculinos cresceu de cerca de 5,5 bilhões de dólares em 2018 para 5,7 bilhões em 2019.

. A nova tendência da K-Beauty se chama “Mirror Skin”. A ideia é deixar a pele com um aspecto glow intenso, que reflita a luz, como um espelho. O segredo: double cleansing + hidratação caprichada com sérum e loção ou creme + protetor solar.

. Nivea lança O Toque que Transforma e Inspira Conexões, iniciativa que vai apoiar ações sociais. A AACD, a ong TODXS e a instituição Pretahub estão entre os parceiros anunciados pela marca. E para junho, o mês do Orgulho LGBTQIA+, a latinha azul e o protetor labial ganharão as cores do arco-íris.

Foto: Alex Batista

Posts Relacionados