Cosméticos em monodose como alternativa sustentável e outras notícias
Futuro

Cosméticos em monodose como alternativa sustentável e outras notícias

por Manuela Aquino

Ser mais sustentável está entre os principais desafios da indústria da beleza. Especialmente quando falamos em fragrâncias e itens de skincare, um dos maiores questionamentos é como aliar esse pilar consciente à tecnologia, desempenho e às embalagens. No entanto, segundo reportagem da Elle britânica, uma alternativa parece ressurgir no horizonte: cosméticos encapsulados em monodoses, muito populares nos anos 90, estão fazendo sucesso mundo afora; além de prometerem praticidade e alta performance, eles são a “nova” aposta da indústria para embalagens mais sustentáveis de produtos de skincare. 

A ideia seria trocar os frascos grandes por opções como cápsulas e sachês recicláveis e biodegradáveis com produtos para a pele. Com algumas empresas já oferecendo a possibilidade de fazer sua rotina de skincare sem desperdício (na natureza e em casa), o consumidor também passa a enxergar isso como uma boa saída. A varejista Net-A-Porter já percebeu um aumento notável na demanda por produtos de monodosagem. “Somente para ampolas, tivemos um crescimento de dois dígitos no ano e temos multiplicado nosso sortimento desde então”, disse o diretor global Newby Hands para a reportagem. 

A importância do material das monodoses
Não faria sentido ter monodoses como alternativa sem que os materiais usados na fabricação das embalagem fossem sustentáveis, recicláveis e até mesmo compostáveis. Segundo o WWF, a indústria da beleza produz 122 bilhões de sachês por ano, sendo que a maioria dos materiais são difíceis de reciclar, mesmo em estações mais modernas. Ainda que as opções fossem feitas com cápsulas biodegradáveis de cerâmica, como as da Elizabeth Arden, seria preciso considerar também que, ao dissolver esses materiais, toda a energia incorporada e todos os recursos naturais que foram usados na produção da embalagem vão literalmente pelo ralo. A marca britânica de skincare WO, por exemplo, investe na fabricação de monodoses e acredita estar no caminho certo, já que 56% dos britânicos não reciclam material de banheiro — e recentemente lançaram um sérum em monodose embalado em material facilmente reciclável. “Usamos uma combinação de até 80% de garrafas PET recicladas, elemento amplamente aceito nas estações de reciclagem. Assim, o ciclo da beleza continua”, disse Lee-Thompson, CEO da marca. 

Indo além, a Sunrise Session embala xampus com a tecnologia criada pela Nohbo, uma start-up que embala monodoses num invólucro transparente que parece plástico, mas na verdade é um material solúvel e biodegradável. 

Iniciativas como essas mostram que este é só o começo de um caminho longo para um mercado de skincare mais sustentável, ainda será preciso mais engajamento: não só de metas ambientais ambiciosas, como redução do uso de água nas fábricas e ser carbono zero, como também mais adesão dos consumidores que ainda são apaixonados por embalagens “luxuosas” e, em geral, de uso único.

Top 5

1. As tendências de proteção solar para 2021, segundo a Mintel 
Por aqui já falamos sobre como o filtro solar deixou de ser um assunto exclusivo do verão e de que modo, atualmente, esses produtos precisam oferecer algo além da proteção para competirem bem no mercado. Além do grau do FPS, se a fórmula for anti-oleosidade, tiver ativos que tratam a pele e um pouquinho de cor, por exemplo, melhor. Diante dessa mudança nos produtos, a Mintel analisou 10 tendências de proteção nas quais as marcas devem estar atentas e aqui, compartilhamos algumas das mais interessantes. A começar pelo foco no bem-estar mental, o que fez com que algumas marcas usem perfumes, texturas e elementos lúdicos para relaxamento — um exemplo é a marca Isle of Paradise que lançou produtos com óleos essenciais de ylang-ylang, jasmim e lavanda. Outra tendência que, na verdade, virou um “tem que ter” é a preocupação da marca com a sustentabilidade, ainda mais que alguns protetores são prejudiciais a vida dos corais. Assim, ser biodegradável, livre de microplásticos e de octocrileno se faz necessário. Na mesma vibe, está a busca por refis que tem crescido no mercado de suncare, marcas como Milk Makeup e a brasileira Chameleon Sun já saíram na frente. 

2. Huda Hattan investe em sexual wellness
A empresária e fundadora da famosa Huda Beauty e da Wishful Skin está investindo na Ketish, uma nova marca de bem-estar feminino, fundada por Emaan Abbass, ex-desenvolvedora de produtos dela. O anúncio da nova empreitada foi feita no Instagram da Huda Kattan, para seus 49 milhões de seguidores. “A Ketish está aqui para remover toda a vergonha que as mulheres sentem quando optam por cuidar de si mesmas e, em vez disso, fazer com que se sintam fortalecidas e sexy. É hora de iniciar a conversa. É hora de mudar a narrativa. É hora de acabar com a vergonha. É hora de redefinir”, disse. Tudo indica que a empreitada é sucesso na certa: o mercado global de sexual wellness tem previsão de chegar a 125, 1 bilhões de dólares em 2026, com crescimento de 12,5% neste período.

3. L’Oréal volta a ter taxas de crescimento como antes da pandemia 
O grupo divulgou seus resultados do primeiro semestre deste ano e eles foram bons: a gigante francesa da beleza viu as vendas dispararem 33,5% no segundo trimestre, empurrando o crescimento do primeiro semestre para 20,7%. A volta dos salões, por exemplo, foi um dos fatores que puxaram as vendas dos produtos profissionais, que tiveram um aumento bem expressivo: 65% a mais no segundo trimestre. Depois desta categoria, as que mais lucraram foram Active Cosmetics com crescimento de 48,4% e Luxo com 45,7%. “Com a situação da saúde ainda incerta, o mercado de beleza está se recuperando gradualmente e registrou um crescimento de dois dígitos. No final de junho, o Grupo registrou um aumento muito forte e voltou à sua taxa de crescimento anterior à Covid com 6,6% de crescimento em relação ao primeiro semestre de 2019”, disse o novo CEO, Nicolas Hieronimus em comunicado.

4. Mercado de cosméticos com probióticos promete crescimento expressivo até 2025
O relatório “Probiotic Cosmetic Products Market” da Technavio aponta um crescimento de 492,91 milhões de dólares de 2021 à 2025 com uma taxa de crescimento anual de 5% neste período. A América do Norte será a região com mais consumo de produtos de beleza formulados com probióticos — 35% do crescimento mundial virá de lá e a taxa de crescimento neste ano é prevista para ser de 3,5%. Gigantes como Johnson & Johnson, L’Oréal, Estée Lauder, Unilever e P&G ao lado de Aurelia, Esse Skincare, Gallinee e  GLOWBIOTIC são os destaques deste mercado. Segundo a análise, a crescente necessidade de tratamentos de bem-estar oferecerá imensas oportunidades de crescimento e os fornecedores de mercado devem fortalecer sua posição nos segmentos de crescimento rápido, como cosméticos de passar e de beber.

5. Justiça Europeia garante design de batom para Guerlain
O Tribunal Geral da União Europeia cancelou a decisão do Escritório de Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO), que havia negado pedido da Guerlain de registrar o design de um de seus batons – aquele redondinho, lembra? A notícia, dada pelo Premium Beauty News diz que a marca em setembro de 2020 contra a demissão do EUIPO para proteger a forma tridimensional de seu batom Rouge G. De acordo com o Tribunal “o público ficará surpreso com esta forma facilmente memorável e perceberá que ela se afasta significativamente das normas e costumes do setor de batom”, dizendo de maneira formal, como manda toda decisão judicial, sobre como este formato é um ícone da marca e se diferencia dos demais da concorrência. 

E mais

Beleza na Web lança loja online exclusiva para profissionais de beleza com todos os itens queridinhos de cabeleireiros e maquiadores, tais como L’Oréal Professionnnel, Wella Professionals e Schwarzkopf Professional além de Shiseido, M.A.C e Givenchy.

. Como parte da estratégia de sustentabilidade, a Garnier lançou barras de xampu Whole Blends no mercado estadunidense. Desenvolvidas com menos água e embalagem zero plástico, possuem fórmula 94% plant-based e 93% biodegradável. A promessa é que cada barra dure até dois meses. 

. God is a Woman é o nome da nova fragrância da cantora Ariana Grande que entra na categoria clean beauty. Feito com parceria com o grupo Luxe Brands, o perfume é 100% vegano e tem 91% dos ingredientes de origem natural — uma das maiores tendências de perfumaria, como mostramos aqui.

Saiba mais!