Como lavar o cabelo, segundo Yves Durif
Pessoas

Como lavar o cabelo, segundo Yves Durif

por Vânia Goy

Na condição (maravilhosa) que é ser embaixadora da Sisley, cheguei em Nova York com uma missão: visitar um dos porta-vozes de Hair Rituel (que mostrei aqui no ano passado), investida da marca francesa pros cabelos. O compromisso tinha um super nome e endereço: visitar Yves Durif, do salão homônimo, que fica no Upper East Side, dentro do hotel Carlyle, colado no Central Park, um desses endereços super tradicionais da cidade. É no bar deste hotel, por exemplo, que Woody Allen faz seus famosos shows de jazz. O spa da Sisley também fica ali — um paraíso silencioso e low profile, com o menu completo de tratamentos para o corpo e rosto.

Yves, despachado, simpático e grande contador de histórias, me apresentou mais do que novos produtos e suas técnicas. Contou com detalhes deliciosos da sua trajetória de mais de 40 anos como cabeleireiro. Ele começou aos 17, em Paris, trabalhando no Jacques Dessange. Aos 30 resolveu mudar para Nova York, onde encontrou Bruno Pittini, que abriu o salão francês em Nova York. Bruno é outra lenda desse mercado. De Paris, trouxe Durif e Frederic Fekkai (!) para ajudar na empreitada. Yves me contou que os 80’s foram de trabalho insano e divertidíssimos. Que o salão todo branco, super hi-tech, amanhecia com as cadeiras cheias de nomes como Jodie Foster e Jessica Lange. E que eles emendavam as melhores baladas disco de Nova York na sequência. Colecionador de fotografias clássicas, me mostrou cada uma das que decoram o salão, falou das câmeras que usa e do quanto se dedica a fazer yoga hoje.

Ele abriu o primeiro espaço com seu nome em 1997 e foi para o chiquérrimo Carlyle em 2008. Ali me mostrou lançamentos de Sisley que devem chegar por aqui no segundo semestre. Curti o efeito do spray volumizadorque ele usou nas raízes e comprimento para dar corpo ao meu cabelo fino, que geralmente aguenta pouco tempo uma escova volumosa. Passei o dia com cara de red carpet!

Também disse que desde sempre recomenda uma técnica para suas clientes lavarem o cabelo de um jeito mais econômico e eficiente. Distribui pequenas bisnagas transparentes para elas diluírem o xampu com um pouco de água, algo muito parecido com o que a Renata Souza, do Spa Deia e Renata, faz aqui no Brasil. Segundo ele, as fórmulas foram ficando cada vez mais cremosas e nem sempre atingem o couro cabeludo de um jeito uniforme. Ele recomenda fazer a mistura na hora de lavar (não pode guardar diluído para não comprometer a eficácia, estabilidade e segurança da fórmula!), chacoalhar e aplicar ao longo de toda a cabeça, massageando em seguida. Yves também falou longamente sobre como a gente tende a aplicar o xampu muito mais no topo da cabeça do que no contorno do rosto, nuca e atrás das orelhas, regiões naturalmente mais oleosas. Já prestou atenção? Então bota reparo no próximo banho. E, segundo ele, pode repetir o gesto e lavar a cabeça duas vezes se você lava em dias alternados e tem raízes muito oleosas!

Posts Relacionados