Produtos biocompatíveis: o skincare da Drunk Elephant, por Tiffany Masterson
Pessoas

Produtos biocompatíveis: o skincare da Drunk Elephant, por Tiffany Masterson

por Manuela Aquino

Pense em uma consumidora curiosa, que começou a pesquisar produtos de beleza em busca de fórmulas que atendessem às suas necessidades e descobriu que havia seis ingredientes que poderiam atrapalhar a sua rotina. Ela imaginou que o mesmo poderia acontecer com outras mulheres e resolveu investir em um negócio de skincare. Essa é a história é de Tiffany Masterson, fundadora Drunk Elephant, recém-chegada ao Brasil e que foi fundada há 7 anos.

Hoje, a marca que tem como filosofia o conceito de biocompatibilidade e fórmulas livres de ingredientes considerados suspeitos, é uma das queridinhas do mercado: em 2019, as vendas chegaram a mais de 100 milhões de dólares e a Drunk Elephant passou a integrar o grupo Shiseido, que a comprou por 845 milhões de dólares, o que representou mais dinheiro para expansão, mas nada de perda em origem e princípios da marca. Em entrevista ao Belezinha, Tiffany fala sobre o começo de tudo, a criação das fórmulas, o impacto da pandemia e, claro, sobre a chegada ao Brasil. Confira:

BELEZINHA: Você começou sua marca pesquisando ingredientes, como foi isso?
Tiffany Masterson:
Minha visão era construir a marca totalmente baseada na ideia, ou filosofia, de evitar 6 categorias de ingredientes que chamei de Suspicious Six (óleos essenciais, álcoois secantes, silicones, protetores solares químicos, fragrâncias/corantes, lauril sulfato de sódio). Essa abordagem era algo que eu achava que estava faltando na indústria e que poderia ajudar as pessoas. Em geral, elas costumam pensar que seus problemas de pele são permanentes, mas muitas vezes são simplesmente induzidos pelos próprios produtos que usamos diariamente e essa é uma questão que pode ser resolvida facilmente com a eliminação de alguns deles.

BELEZINHA: Quais foram os primeiros produtos que ficaram prontos?
Tiffany Masterson:
Desenvolvi cinco ao mesmo tempo. Estudei como seria a rotina perfeita e o que seria necessário para restaurar a saúde ideal da pele. Queria oferecer produtos de skincare que permitissem às pessoas ficarem sem maquiagem. Então pensei num sistema simples que inclui dois limpadores, um deles esfoliante. Além deles, um óleo hidratante não refinado, um protetor solar físico e por último, um esfoliante químico com 12% glicólico que não é irritante.

BELEZINHA: Os produtos da marca são conhecidos por serem biocompatíveis, o que isso significa?
Tiffany Masterson:
Ao escolher os ingredientes, não me importei se são naturais ou sintéticos, queria que fossem biocompatíveis – o que significa que a pele os reconheceria imediatamente e os colocaria para trabalhar. Então, eliminei, é claro, os óbvios sintéticos que estão ligados a problemas internos de saúde e irritação externa; foquei na qualidade, níveis de pH, níveis de toxicidade e níveis de ativos. Assim, peguei o melhor dos dois mundos para criar o que considero uma linha biocompatível que todos podem usar.

BELEZINHA: Como nasce um novo produto? Pela demanda do mercado, pelo o que seus consumidores pedem?
Tiffany Masterson: Crio novos produtos com base no que sinto que está faltando na minha própria rotina. Se estou pensando em algo e meu cliente está pedindo por ele nas redes sociais, então geralmente é a hora certa. Eu propositalmente não olho para as tendências de beleza. Vir de fora da indústria da beleza tem sido uma vantagem para mim de várias maneiras, desde o início, eu tinha minha própria filosofia e abordagem única, e ainda evito olhar para o que outras marcas estão fazendo. Então não sou influenciado por tendências e fico no meu próprio caminho.

BELEZINHA: O nome Drunk Elephant é bem diferente. Como ele apareceu?
Tiffany Masterson: Eu me apaixonei pelo óleo de marula desde a primeira vez que experimentei, então pesquisei no Google e encontrei vídeos de elefantes parecendo ficar tontos com a fruta da marula. Pensei no nome “elefante bêbado”. Achei que as pessoas iriam querer saber e isso criaria curiosidade suficiente para que funcionasse em meu benefício. Foi um risco, mas acho que acabou valendo a pena. A linha precisava de um pouco de despreocupação já que as formulações são muito sérias.

BELEZINHA: No Brasil, as marcas investem muito em influencers, publiposts, mas a Drunk Elephant não. Como reverberar os produtos por aqui?
Tiffany Masterson: Acredito firmemente que produtos que realmente funcionam fazem as pessoas ficarem felizes e contarem a todos que conhecem. Esse boca a boca orgânico tem sido a chave para a rápida taxa de crescimento e sucesso da Drunk Elephant.

BELEZINHA: A marca foi vendida para Shiseido. Quais mudanças aconteceram desde então?
Tiffany Masterson
: Uma das melhores coisas sobre a parceria com a Shiseido é que eles nos permitiram continuar sendo quem somos. Compartilhamos os mesmos valores de colocar o consumidor em primeiro lugar. É um negócio como de costume, com muito mais acesso à inovação que nos permitirá melhorar futuras formulações e sustentabilidade de embalagens e inovação. Podemos expandir globalmente e entregar os produtos a ainda mais mercados que os têm solicitado de forma mais eficiente. 

BELEZINHA: Durante a pandemia, o mercado de skincare teve grande aumento. Como foi para vocês?
Tiffany Masterson: Acho que a pandemia ajudou a impulsionar a tendência de autocuidado da cabeça aos pés quando todos estavam em casa. Fomos afetados pela pandemia como a maioria das empresas, mas felizmente tivemos um crescimento positivo pois nosso consumidor foi rapidamente para o online. Mais de 75% do nosso negócio acabou ficando online em 2020.

BELEZINHA: Quais são os produtos favoritos da sua rotina?
Tiffany Masterson: Minha rotina em qualquer dia depende de como minha pele está se sentindo. O legal é personalizar com base no humor da sua pele. Alguns dias são mais secos do que outros, então, escute o que ela tem a dizer. Numa manhã típica, limpo com Beste e depois uso B-Hydra, C-Firma Fresh, A-Passioni, Lala e uma gota de D-Bronzi — misturo todos na palma da mão e aplico. Em seguida, finalizo com Umbra Shee para proteção física. À noite eu limpo com Slaai ou Beste. Aí, misturo TLC Framboos, Protini, B-Hydra e óleo de Marula. Também uso o Shaba ou C-Tango e Lippe que podem ser aplicados no final de qualquer rotina. O Babyfacial uso uma vez por semana para uma esfoliação mais profunda.

BELEZINHA: Para a consumidora brasileira, iniciante em skincare e em usar a marca, quais produtos você indicaria?
Tiffany Masterson: Menos é mais! Para se beneficiar da minha filosofia de evitar o Suspicious Six, você só precisa de algumas coisas: um limpador, hidratante e protetor solar. Comece devagar no início para não sobrecarregar sua pele e, em seguida, introduza lentamente produtos adicionais no melhor ritmo para a sua pele.

Saiba mais!