Skincare: The Chemist Look chega ao Brasil combinando ciência e performance com muita personalidade
Futuro

Skincare: The Chemist Look chega ao Brasil combinando ciência e performance com muita personalidade

por Vânia Goy - Conteúdo Patrocinado

Florência Jinchuk, fundadora da The Chemist Look, marca de skincare que acaba de desembarcar no Brasil, já avisa de antemão que posso chamá-la de Flopi. Formada em química, apaixonada por skincare, curiosa e falante, ela faz parte das criadoras de beauty-techs pioneiras, que nasceram digitais há pouco mais de seis anos, impulsionadas por comunidades de leitoras ávidas por informação e, claro, produtos que sintetizassem a personalidade criativa, inspiradora e confiável de suas fundadoras.

Ainda adolescente, Flopi me disse que já sabia que ia estudar ciência. Conseguiu uma bolsa e, aos 18 anos, saiu do Uruguai para estudar química nos EUA. Num dos verões, focada em passar as férias em Nova York, arrumou um emprego temporário para aproveitar a cidade. “Caminhando pela fábrica de polímeros com esse cabelão que eu tenho, me perguntaram se eu não queria fazer parte de uma série de testes de um cosmético capilar e esse foi um momento-chave na minha vida: apesar de amar moda e beleza desde sempre, eu nunca tinha feito a conexão entre a indústria química e a cosmética. E de repente eu estava com químicos vestindo seus equipamentos de segurança num laboratório conectado a um salão de beleza. Fiquei apaixonada e me dei conta que era isso que eu queria fazer da vida.”

Cosmética autoral

Nos bastidores do mestrado em cosmética, aproveitando a proximidade aos professores que também atuavam nos centros de pesquisa e desenvolvimento de grandes marcas, ela começou a se fazer perguntas. “Eu via uma brecha muito grande entre a inovação que a gente estudava no laboratório e o que, de fato, estava disponível nas prateleiras. Outro incômodo era a fama de que cosméticos não funcionam tão bem diante das narrativas e afirmações pouco realistas, para não dizer exageradas, da indústria de beleza.”

Foi assim que Flopi começou a escrever no The Chemist Look, seu blog. “Era meu bloco de notas: tenho uma personalidade muito apaixonada e ali eu comparava estudos, juntava referências, aprofundava conceitos”, diz. “Aos poucos, foi se estabelecendo uma comunidade de interessadas nessas informações e também em produtos que talvez a gente não encontrasse facilmente no mercado de skincare da época.” 

Bingo! Ela começou a formular seus próprios produtos de skincare. “Hoje é mais comum pensar em marcas que derivam de comunidades digitais, mas há seis anos não era. E eu sou parte desse movimento que acelerou o mercado com transparência e diálogo aberto com uma audiência 100% digital.”

Diferencial
Flopi diz que, desde o início, não é guiada por tendências ou modismos, mas dados. “Sempre olho para a essência da nossa criação: dedicamos tempo a educar, explicar, estudar e testar. Não seguimos tendências, mas desejamos antecipá-las. Há seis anos, por exemplo, nascemos falando de transparência, algo mandatório hoje para novas marcas e para as tradicionais que precisam se adaptar aos desejos dos consumidores”, diz. “O nosso futuro é olhar para as formulações inovadoras, eficazes e sustentáveis com criatividade. Meu primeiro passo foi criar fórmulas altamente eficientes e biocompatíveis com a nossa pele. Adicionamos uma nova camada no desenvolvimento que é acompanhar a cadeia e de onde vem os nossos ingredientes.”

Mais do que a demanda do consumidor, ela me explica que este cuidado global faz parte de seu senso de responsabilidade como empreendedora. “É preciso fazer as coisas direito, respeitar essa comunidade de troca. Fazer mais do mesmo para mim não faz sentido.”

Para começar

A marca, que também está presente no Chile e na Argentina, tem mais de 20 produtos em linha, mas (por enquanto!) chega por aqui com três produtos diferentes, dois deles favoritos absolutos de Flopi: o Booster VIT-C / FE e o MUNAP-18, que ando testando!

O primeiro já promete ser hit: combina vitamina C pura com ativos antioxidantes para reduzir o estresse oxidativo da pele e a produção de cortisol. “Eu queria garantir uma formulação absolutamente eficaz e estável, que entregasse luminosidade e suavizasse manchas em pouco tempo”. A textura é uma delícia e eu amei o tamanho do frasco, perfeito para ser usado por três meses. 

Outro hit é o MUNAP-18, marca-registrada de The Chemist Look e criado a partir de um peptídeo, o Acetil Hexapeptídeo-1, terceira geração de peptídeos como a arginina, uma das referências para a prevenção de linhas de expressão e aceleração na produção e colágeno. “Em geral, as formulações contém cerca de 5% deste ingrediente, por causa do alto custo. E eu perguntei até onde consigo ir? E com 20% o resultado é incrível, visível em 20 dias, sem comprometer a barreira de proteção natural da pele”, explica Flopi. Combinado à posbióticos, para garantir conforto e manter a integridade cutânea, devolve firmeza para a pele e tem efeito imediato porque atenua a contração muscular.

Já adicionei ambos na minha rotina e tô feliz com a leveza das texturas e rendimento das gotinhas. Para as curiosas, o site brasileiro está a todo vapor e tem belevoucher pra gente: VANIAxTCL para ganhar 20% de desconto. Em 2022 volto para contar mais dos efeitos que senti fazendo esse intensivão. E adiantando novidades, porque a promessa é de um ano movimentado para a marca por aqui!

Saiba mais!