Taís Araújo: segredos do cabelo afro e da gravidez
Belezinha

Taís Araújo: segredos do cabelo afro e da gravidez

por Vânia Goy

Antes de Taís Araújo partir rumo à festa de aniversário da revista Nova, que traz a atriz na capa da edição de setembro, batemos um papo cheio de risadas. Ela falou de tudo: do cabelo afro à barriguinha da segunda gravidez, que marcava levemente o macacão Diane Von Furstenberg. E ela é cheia de bons segredos!

Abrindo o cabelo
“Foi o Wilson Eliodorio que me ensinou a mexer no meu cabelo. Ele me convenceu a não passar mais relaxante, coisa que sempre fiz, desde adolescente.

No fim da novela Cobras e Lagartos [em 2006] eu estava com o cabelo loiro e há muito tempo sem fazer relaxamento. Foi nessa época que me aproximei do Wilson. Ele me disse que se eu botasse uma tinta e desistisse da química meu cabelo ia ficar lindo. Descobrimos juntos que ele adora tintura! Ela amolece o fio e o cacho fica mais aberto.

Foi aí que cortei tudo e usei black power. Meu cabelo ficou natural pela primeira vez na vida! E também foi o Wilson que me ensinou a cuidar dos fios.

A rotina é pesada! Eu misturo muito leave-in, óleo e um gel fixador, que mantém o cacho bonito por mais tempo. Só que esse corte tem o tamanho de um travesseiro e cada vez que eu deito o cabelo amassa. Se eu não quero lavar de manhã dou só uma molhadinha que ele volta. Seca bonito.

Mas a verdade é que dá trabalho! Quem faz relaxamento ou escova realmente tem a vida mais prática. Só que é escrava disso, né?

Gosto mais do meu cabelo assim, me reconheço nele. E acho outra coisa importante: a menina que tem o cabelo crespo olha o meu assim e acha legal. Isso é uma conquista. Outro dia o filho de uma amiga, que tem cinco ou seis anos, virou para mim e disse: “uau, seu cabelo é muito maneiro”. E ela emendou: “a gente sonhou com isso, né Taís?”. E é verdade! A nossa geração chamava o cabelo afro de ruim, achava descuidado, descabelado. As crianças foram todas educadas para achar só o cabelo liso e loiro da princesa bonito.

Quem me olha cuidando do cabelo fica chocado. É muito produto mesmo! Se alguém de cabelo liso usasse esse tanto de coisa ia ficar com o cabelo grudado na cabeça para sempre. Mas o meu adora, absorve tudo!”

Gravidez de menina
“Estou grávida de quatro meses e meio. E, não sei porque, mas me sinto mais bonita nessa gestação do que na outra. Tô me achando!

Na primeira gravidez eu parei de malhar com seis meses, nessa não quero parar não. Estou sentindo uma enxurrada de hormônios tomando conta do meu corpo, talvez porque seja menina. Me sinto mais inchada e com mais celulite – dessa vez o corpo parece mudar mais rápido.

Gravidez reduz as opções de produto. Só dá para usar o que é natural ou indicado pelos médicos, né? Outro dia alguém me falou que a Juliana Paes disse que passava o óleo depois do creme hidratante no corpo. Aí eu perguntei para a minha dermatologista e inverti a ordem. Passo primeiro o Elastcream, da ADCOS, e depois um óleo da Weleda, ambos contra estrias.

No rosto eu não uso nada além de filtro solar – mesmo sem estar grávida. Nunca fiz laser ou outro procedimento, morro de medo! Enquanto não precisar vou levando! E quase não tomo sol. Aprendi com a minha mãe, que teve uma queimadura séria quando era nova e sempre fez a gente aplicar muito filtro, desde que eu tenho uns 11 anos. Eu achava chatíssimo quando criança.

Hoje, passo o filtro, depois um BB Cream e um rímel [tudo L’Oréal Paris, já que Taís é embaixadora da marca!]. Aí já dá aquela alegria, um glamourzinho na pele para eu sair de casa mais feliz.”

Posts Relacionados