Beleza sólida, sem água nem plástico: porque a B.O.B é uma das marcas mais inovadoras do mercado de beleza brasileiro
Produtos

Beleza sólida, sem água nem plástico: porque a B.O.B é uma das marcas mais inovadoras do mercado de beleza brasileiro

por Vânia Goy - Conteúdo Patrocinado

Formulações de beleza sólidas e livres de água estão entre as tendências que a gente apresenta mais recorrentemente aqui e, cada vez mais, ganham corpo no mercado brasileiro. Lá fora, o conceito de “waterless beauty” é um dos que movimenta marcas inovadoras em busca de redução de impacto na cadeia de produção, soluções mais sustentáveis quando o assunto é embalagem sem abrir mão, é claro, de performance — porque resultado na pele e no cabelo é inegociável. Quando a gente olha para a lista de ingredientes dos produtos de beleza, rapidamente consegue ver que água é um dos principais deles. “A gente estima que 80% dos xampus, por exemplo, é só água. E refletimos desde sobre o tanto de plástico de uso único que é usado para embalar os produtos até o consumo energia, espaço e combustível necessário para, basicamente, transportar água de um lado pro outro”, me disse disse Andreia Quercia, co-fundadora da B.O.B, marca brasileira que é um dos principais players do mercado.

A B.O.B nasceu em 2018 com um portfólio de produtos para cabelo sólidos que hoje já conta com barras de limpeza faciais e (spoiler!) deve estender a gama de produtos para cuidados corporais em breve. Das primeiras perguntas que fiz para os fundadores, Andreia e Victor Falzoni: não deu frio na barriga começar justamente por produtos tão importantes na rotina das brasileiras? “Sabemos que o mercado de cabelo do Brasil é famoso no mundo todo pela diversidade de fios e nível de exigência das consumidoras”, disse Victor. “Deu frio na barriga e exigiu muita pesquisa e teste. Os nossos primeiros produtos levaram dois anos para ficarem prontos e hoje a gente conta com um time de pesquisa e desenvolvimento dividido entre o Brasil e Europa de olho em todas as novidades.”

Os sócios se conhecem desde que eram crianças. Estudaram juntos e, apesar de terem seguido carreiras em mercados diferentes, ambos trabalhavam com negócios. Radicada na Alemanha, Andreia notou como a quantidade de produtos sólidos e o interesse dos consumidores crescia na Europa e ainda era escasso no Brasil. Juntos, investiram na criação da B.O.B, trabalho que vai além das bases sólidas. “A gente aprofundou a pesquisa sobre predileções entre as consumidoras em oito regiões diferentes, testamos dezenas de ingredientes locais para privilegiar uma cadeia de fornecimento que gerasse menor impacto e trabalhamos com parceiros que toparam transformar até as fábricas para dar conta da escala e do formato diferente das bases líquidas e cremosas tradicionais que a indústria se habituou a produzir.”

Retirar a água dos produtos não só reduz o volume que precisa ser transportado pra lá e pra cá e torna a produção nas plantas fabris mais econômica, como também reduz a necessidade de conservantes químicos que evitam a proliferação de fungos e bactérias em ambientes úmidos. Não à toa, muitas das marcas como a B.O.B entregam soluções alinhadas aos desejos do público que busca composições simplificadas, repletas de ingredientes e até conservantes naturais.

A tendência ganhou corpo há alguns anos no mercado coreano, em busca de formulações cada vez mais potentes e eficientes, especialmente de skincare. Marcas pioneiras no assunto buscavam formas de preservar ao máximo os benefícios dos ingredientes naturais usados em suas composições, e retirar a água delas foi uma das soluções encontradas. 

Dos desafios do caminho: as formulações sólidas pro cabelo carregam a fama de serem muito adstringentes, deixarem os fios ressecados ou excessivamente pesados, pela quantidade de óleos nos condicionadores. O diferencial da B.O.B é, primeiro, não trabalhar com formulações saponificadas, que acabam sendo mais alcalinas e agressivas. “Além disso, optamos por usar o SCI, um tensoativo derivado do óleo de coco que tem alto poder de limpeza sem elevar o pH do produto e danificar os fios”, disse Victor. “Também temos investido em ativos naturais microencapsulados, que se mantêm mais frescos por mais tempo e são ativados apenas no momento do uso.”

O céu é o limite pro mercado de sólidos? “Olha, a gente quer construir o portfólio ideal para que os nossos banheiros não tenham plástico e, sim, as possibilidades são inúmeras. Mas o propósito é manter esse olhar slow, criando produtos de alta qualidade e que façam sentido num portfólio enxuto e multifuncional. Somos uma marca minimalista e sem exageros”, finaliza Andreia.

Saiba mais!