Guia do xampu seco
Produtos

Guia do xampu seco

por Vânia Goy

Colaborou Manoela Meirelles

De repente um expert passa a mencionar nas entrevistas um produto absolutamente favorito que você nunca ouviu falar. De uns temos pra cá todos falam que usam xampu seco e a-m-a-m o resultado que dá nos fios.

Daí você se dá conta que não tem ideia do que seja um xampu seco. Ou, no meu caso, usa o treco para uma coisa bem específica – deixar os fios com uma cara limpinha, por exemplo. Quando foram criados, eles serviam só pra isso mesmo. Eram talcos perfumados que você espalhava no couro cabeludo e salvavam a vida de quem tinha as raízes muito oleosas.

Com o passar dos anos, essa categoria foi ganhando fórmulas mais tecnológicas até que chegamos no auge. Hoje eles são levíssimos, em spray, muito perfumados e servem pra finalizar o cabelo, além de mascarar aquela manhã corrida que te impediu de lavar os fios.

A gente foi conversar com quem entende do assunto, com quem sempre usa em casa e listou os favoritos que valem o investimento. Assim a gente evita que role um arrependimento.

O clássico
O talco é o mais tradicional e bom de levar na nécessaire de viagem, quando rola aquela frescura com embalagens e você quer sair decente depois de horas sentada. A Bizuka Corrêa, jornalista amiga, é fã do Klorane (que existe em spray também). “Uso o Klorane (R$ 55) desde 1984, quando morei em Paris. Meu cabelo é mega oleoso: horas depois de lavada a minha franja já fica oleosa. Quando descobri foi um milagre. Uso pela manhã ou quando vou sair no fim do dia. Aplico a uns cinco centímetros de distância do couro cabeludo e em pouca quantidade. Espero absorver durante dois minutos e escovo para não ficar com as raízes brancas”, ensina. Outra boa alternativa em pó é o xampu seco de Oscar Blandi (R$ 55), à venda na Sephora, que tem cheirinho cítrico e também dá uma bela encorpada nos fios finos.

Melhor custo benefício
Sem dúvida são os sprays da Batiste (R$ 23). A versão clássica é perfeita para quem quer experimentar essa moda sem gastar muito dinheiro. Paola de Orleans e Bragança é fã. “Meu cabelo é seco, mas como gosto dos fios mais pesados, com movimento e mais ondas (às vezes ele fica muito fino e sem volume), uso em pequenas quantidades na frente e nas laterais, a uma distância de vinte a trinta centímetros. Espero absorver e massageio para não ficar esbranquiçado. Ele é ótimo entre uma lavagem e outra e o segredo é treinar para aplicar direitinho.”

No dia a dia
Você fica horas secando o cabelo e quando acorda no dia seguinte ele continua limpo, mas sem volume algum? Isso sempre rola com a Giuliana Vallone, outra jornalista amiga que é viciada no xampu seco da linha Luxurious Volume (R$ 60), do John Frieda. “Detesto o cabelo murcho. O xampu seco recupera o volume como se eu tivesse acabado de lavar e secar. E também dá aquela ‘secada’ na raiz, sabe? Tira a oleosidade que aparece no dia seguinte à lavagem.” Boa alternativa (só que mais cara!): Fresh Dust (R$ 95), de L’Oréal Professionnel.

Para as castanhas
O Dry Shampoo Dark (R$ 47), do Lee Stafford, é o nosso favorito pro dia a dia. Ótimo para quando você acorda correndo e não lava o cabelo ou precisa dar uma revigorada nos fios oleosos no fim do dia. Deixa as castanhas menos preocupadas de saírem por aí com as raízes brancas. Seu aroma é uma delícia, refrescante, e é mais rápido tirar o excessoporque ele é escuro.

Para dias especiais
Entre os profissionais cinco estrelas, como o Rodrigo Costa, que vive maquiando a Sabrina Sato, e o Marco Antonio de Biaggi, o (caríssimo) xampu seco da Oribe (US$ 45) está no topo. Suas borrifadas dão textura aos fios secos, ajudam a levantar a raiz dos finos e deixam aquela cara meio bagunçadinha que a gente ama. Isso significa que não vai comprá-lo para mascarar as suas raízes oleosas, mas para finalizar o cabelão solto num dia especial. “O xampu seco é a nova pomada, é ótimo para fixar penteados ou emoldurar o rosto, dando uma encorpada”, diz Biaggi. “Uso muito para abrir e tirar o ar ladylike de uma trança certinha, por exemplo.”

Luxo puro
Por aqui, a versão mais luxuosa é a da Kérastase – não tem para ninguém. O perfume é delicioso, ele é muito fino, transparente e nunca deixa as raízes brancas. Assim como o da Oribe, não é a melhor opção para quem quer dar um jeito no cabelo sujo. A Vânia, por exemplo, adotou o spray no dia a dia, borrifando nos fios secos e limpos. A receita é lavar, secar com o secador, borrifar o Powder Bluff (R$ 144) nas raízes e prender num coque alto. É só soltar para ficar meio Carmen Mayrink Veiga, com o dobro de cabelo. Outra boa opção é o Dry Shampoo Pillow Proof (R$ 100), da Redken, a diferença é que o seu acabamento é mais opaco.

Posts Relacionados